Arquivo da categoria: Sem categoria

No dia 04 de julho de 2018, foi realizado o IV Fórum de NEABIs da Unipampa

Por Aline Reinhardt da Silveira

Marcado por debates, relatos de experiências, proposições, poesia e música, o IV Fórum dos Núcleos de Estudo Afro-Brasileiros e Indígenas da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) reiterou o compromisso e o apoio institucional para a realização do IV Congresso de Pesquisadores(as) Negros(as) da Região Sul (Copene Sul). Realizado em Bagé, no dia 04 de julho de 2018, o fórum reuniu representantes dos Neabis dos dez campi da Unipampa, de outras instituições, pesquisadores e reitoria. Na agenda, a formalização a realização do evento regional em julho do próximo ano em Jaguarão.

Durante a mesa de abertura do IV Fórum, a coordenadora Nacional da Associação Brasileira dos Pesquisadores Negros (ABPN) e do X Copene Nacional, professora Anna Benite (UFG), congratulou a Unipampa pelo trabalho que vem sendo realizado. “Eu cumprimento essa universidade e seu reitor pela iniciativa de conduzir essa parceria que é a realização do IV Copene Sul. Esse é um congresso que convoca a atenção para a redemocratização da produção do conhecimento cientifico dentro das nossas universidades, a despeito de uma historiografia que é pobre e equivocada”, afirmou. “Nós hoje estamos aqui celebrando este convênio para realização do IV Copene por que muitos de nós fizeram antes, muitos vieram antes, e muitos lutaram contra essa produção do conhecimento que não é neutra nem objetiva, mas é carregada de subjetividade”, completou.

Na ocasião, o reitor Marco Antonio Fontoura Hansen formalizou o compromisso da Unipampa e o apoio institucional para a realização do evento, e se colocou como parceiro para as reivindicações e temáticas trabalhadas pelos Neabis.  “No ano que vem, o Copene será uma grande realidade e um grande evento de nível nacional de sucesso pleno”, afirmou o reitor. Além da expectativa com o evento futuro, o reitor destacou a importância da inclusão das temáticas negras e indígenas nos projetos pedagógicos dos cursos, para que estejam inclusos nos debates ao longo de toda a graduação, e não apenas sejam pontuados isoladamente.

Os participantes do fórum tiveram, ainda, a oportunidade de conhecer o relato do acadêmico de Licenciatura em Educação do Campo, Miguel Ribeiro, indígena caingangue de Tenente Portela, na divisa com Santa Catarina. Miguel relatou as dificuldades ultrapassadas no intuito de cursar uma graduação, o acolhimento na Unipampa, e o objetivo de contribuir com o futuro não só de sua comunidade, mas de todo o País.

“No lugar onde vivemos, a discriminação com nosso povo é bastante forte. Não é fácil ser indígena lá na minha terra, por que nós carregamos muitos adesivos pejorativos que são colocados no termo ‘ser indígena’. Então quando nós chegamos nessa universidade, nós nos sentimos bem acolhidos, pelos colegas, pelos professores. Vemos que a metodologia dos professores dessa Universidade é uma metodologia acolhedora. Parece que os professores sabem da nossa luta, do nosso sofrimento”, afirmou.

Com quase 50 anos, Miguel afirma que busca aproveitar a oportunidade de fazer uma graduação – após ter priorizado os estudos dos filhos ao longo da vida – e que pretende contribuir para que a educação seja repensada, remodelada, e que não mais seja pensada como uma forma de aculturação do indígena. “Nesse reformular, no remodelar dessa educação, nós indígenas temos muito a contribuir. Hoje não queremos qualquer educação para nossas escolas indígenas, nós queremos qualidade. Nós queremos ajudar a nossa comunidade a se estruturar melhor, a se organizar melhor, junto com o Brasil”, completou.

Participaram da mesa de abertura do IV Fórum dos Neabis o reitor, professor Marco Antonio Fontoura Hanesn, o coordenador de Ações Afirmativas da Unipampa, professor Sebastião Cerqueira Adão, a coordenadora do IV Copene Sul, professora Giane Escobar, e a coordenadora Nacional da Associação Brasileira dos Pesquisadores Negros (ABPN) e do X Copene Nacional, professora Anna Benite. Participaram do evento os representantes dos Neabis da Unipampa, representantes da UFSM, Unisinos e Ulbra, bem como de toda a comunidade acadêmica.

Fotos: Ronaldo Estevam

Reunião para organização do IV Copene que será realizado em Jaguarão em 2019

Por Tamíris Centeno Pereira da Rosa

No dia 10 de maio de 2018, a Coordenadoria de Ações Afirmativas (CAF) da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) realizou uma reunião entre a comissão organizadora do IV Congresso de Pesquisadores Negros da Região Sul (Copene) e o reitor da Unipampa, Marco Antonio Fontoura Hansen.

O encontro teve o objetivo de apresentar para o reitor o projeto do evento. De acordo com a coordenadora do Copene IV e professora da Unipampa, Giane Vargas Escobar, a ideia do evento é trazer visibilidade para os pesquisadores negros e negras e fortalecer as políticas de ações afirmativas, mas principalmente, mostrar as conquistas.

Para o coordenador do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabis) do Campus Santana de Livramento, Guilherme Howes: “o Copene traz para a Unipampa uma agenda positiva e o reconhecimento de um direito à resistência, evidência de uma agenda tão clara e necessária como essa”.

A estudante Kim Paz, do Movimento Negro Enegreceune, também faz parte da organização do evento. “Acredito que o Congresso irá promover uma troca de experiências, fortalecer os movimentos, pesquisas na área e a união desse povo que sempre foi diminuído socialmente”, declara ela.

Primeiro estudante Indígena Aldeado a se formar na Unipampa

A Coordenadoria de Ações Afirmativas  informa que ocorreu a colação de grau do estudante Onório Isaías de Moura, no Curso de Relações Públicas do campus São Borja da Unipampa, no dia 24 de fevereiro de 2018.

O estudante obteve seu ingresso pelo Programa Anauê (2012), e, segundo ele,  ‘O acesso ao ensino superior por indígenas é de grande importância para adquirir conhecimentos na sociedade dos não-índios, favorecendo a autonomia em relação aos seus direitos (2012).’

Disponível em [http://seer.unipampa.edu.br/index.php/siepe/issue/view/41]

Onório Isaías de Moura com o pai e o avô.

Donna Mulheres que Inspiram

A servidora Giane Vargas Escobar, professora no Campus Jaguarão e Coordenadora do NEABI Mocinha, é uma das finalistas da terceira edição do Prêmio Donna Mulheres que Inspiram. Esse prêmio foi criado em 2016 como um reconhecimento da revista Donna, encartada aos finais de semana ao jornal Zero Hora, a mulheres do Rio Grande do Sul com trajetória inspiradora em áreas como serviço social, ciência,  moda, empreendedorismo entre outras.

Nesta edição ano, são 10 finalistas e três mulheres premiadas.

A seleção das 10 finalistas foi feita pela equipe da revista a partir de mais de 100 indicações de mulheres, entre elas colunistas, outras jornalistas do Grupo RBS, indicadas das edições anteriores e mulheres influentes em diferentes setores da sociedade. Para chegar aos 10 nomes, se buscou contemplar diferentes áreas profissionais de atuação, idades, raças e outros aspectos que trouxessem pluralidade ao prêmio.

Nesta edição, as finalistas são:

– Doris Sporh, administradora da marca Rui

– Ernestina Pereira, presidente do Sindicato das Trabalhadoras Domésticas de Pelotas

– Gabriela Guerra, diretora executiva no Brasil da empresa ThoughWorks

– Giane Vargas Escobar, professora da Unipampa e coordenadora do NEABI Mocinha – Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas

– Joanna Burigo, publicitária e fundadora do site Casa da Mãe Joanna

– Madgéli Frantz Machado, juíza do 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

– Maria Teresa Campos, psiquiatra e fundadora e vice-presidente da ONG Sol Maior

– Natália Guasso, publicitária fundadora do Brique dos Desapegos

– Roberta Arabiane Siqueira, procuradora do Estado

– Thaisa Storchi Bergmann, astrônoma e pesquisadora da UFRGS

Para acesso a notícia divulgada, clique Aqui.

Sistema de Seleção Unificada – SISU Processo Seletivo 2018 – Unipampa

A Universidade Federal do Pampa divulgou no dia 22 de janeiro de 2018 o Edital 009/2018, que trata do Edital Complementar do Processo Seletivo 2018.

Para acesso ao Edital Complementar do Processo Seletivo 2018, clique Aqui.  Demais informações são encontradas no site http://www12.unipampa.edu.br/sisu/

Segue abaixo as datas importantes:

Nos termos da legislação, o número de vagas ofertadas para o Processo Seletivo SiSU/UNIPAMPA 2018 considera para a reserva de vagas nas seguintes modalidades:

 

Ações afirmativas

% de vagas

L1 Candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).

20%

L2 Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
L5 Candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa MEC nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).

18%

L6 Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa MEC nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
L9 Candidatos com deficiência que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).

6%

L10 Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012)
L13 Candidatos com deficiência que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).

6%

L14 Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
V1094 Candidato com deficiência.

2%

Demais vagas
A0 Ampla concorrência

48%

Neste ano, o Processo Seletivo SiSU/2018 contará com a participação das Comissões Locais de Verificação, são elas: Comissão de Verificação da Autodeclaração de raça/Etnia, Comissão Local de Verificação da declaração de Pessoa com deficiência e da Comissão Local de Verificação e Análise de Renda.

Capacitação sobre Comissões de Verificação de Alunos Ingressantes via SiSU – 2018

Aconteceu no Campus Bagé entre os dias 05 a 07 de dezembro de 2017 a Capacitação sobre Comissões de Verificação de Alunos Ingressantes via SiSU – 2018 com o apoio da CAF, NINA, PROGRAD e NUDEPE e a participação dos Interfaces da CAF e do NINA, bem como servidores  das secretarias acadêmicas das Unidades Universitárias da Unipampa.

A capacitação teve como objetivo construir conhecimentos no que se refere à formação das Comissões de verificação dos alunos ingressantes por meio da cota racial, socioeconômica e pessoa com deficiência no processo SiSU/2018 da Unipampa.

Participaram como instrutores três servidores da UFSM que integram a Coordenadoria de Ações Afirmativas da UFSM, pois possuem experiências quanto às questões de denúncias de fraudes e de comissões já formadas por eles. Além dos servidores da UFSM, participaram do processo de formação servidores da Unipampa que pertencem à perícia médica (PROGEPE), da PROAD para tratarem dos temas das pessoas com deficiência e dos socioeconômicos e o Prof. Sebastião Ailton da Rosa Cerqueira Adão para tratar do tema relacionado a raça/etnia.

Dessa forma, no dia 05 de dezembro de 2017, foram exploradas “As experiências da UFSM com as Ações Afirmativas” e os “Diálogos sobre ingressos por renda familiar, por deficiência e/ou por autodeclarações” a partir da participação dos servidores Alex Souza Cabistani (Revisor de texto), Ana Lúcia Aguiar Melo (Administradora) e Rosane Brum Mello (Técnica em Assuntos Educacionais). Nesta mesa houve também as contribuições do Processo Seletivo/SiSU da UFpel com a participação da Profa. Rosemar Gomes que é Chefe do Núcleo de Ações Afirmativas e Diversidade.

No segundo dia da capacitação, em 06 de dezembro de 2017, ocorreram as discussões com relação as “Modalidades de ingresso pelas Ações Afirmativas: pessoas com deficiência física, auditiva, visual, intelectual, transtorno do espectro autista ou com deficiência múltipla” e os “Avanços e Desafios sobre as Ações Afirmativas para Pessoas com Deficiência” que foram ministradas por Darlene Reck, que é médica do trabalho da Unipampa.

Por fim, no dia 07 de dezembro de 2017, a abordagem ocorreu em torno dos “Avanços e Desafios sobre Ações Afirmativas por Renda Familiar” por meio dos conhecimentos do servidor da PROAD da Unipampa Nilson Levi Zalewski de Souza (Economista) e também os “Desafios sobre as Ações Afirmativas para pessoas pretas, pardas e indígenas” com as discussões realizadas pelo Prof. Sebastião Ailton da Rosa Cerqueira Adão, servidor do Campus Santana do Livramento da Unipampa.

Desse modo, a Capacitação sobre Comissões de Verificação de Alunos Ingressantes via SiSU – 2018 proporcionou a integração e a construção de conhecimento entre os servidores da instituição, possibilitando a constituição  das Comissões que atuarão durante o Processo Seletivo – SiSU em que haverá o ingresso de discentes através da cota racial, pessoa com deficiência e socioeconômica.

Unipampa sediará 4º Copene Sul em Jaguarão

Por Emanuelle Tronco Bueno
com informações da Profa. Sátira Machado no NAÇÃO Z

A Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Campus Jaguarão, foi escolhida para sediar o 4º Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros da Região Sul (Copene Sul). A seleção foi realizada durante a 3ª edição do evento, realizado em Florianópolis. O 4º Copene Sul ocorrerá no Campus Jaguarão, em 2019, e será presidido pela coordenadora local do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e indígenas (NEABI), Giane Vargas Escobar. O evento irá reunir participantes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e do Paraná.

Na ocasião, o reitor da Unipampa, Marco Antonio Fontoura Hansen, apoiou a realização do evento em Jaguarão. “Sentimo-nos honrados pela escolha. Ela foi o resultado do reconhecimento das ações da Unipampa. O primeiro Neab foi criado em 2010, em Uruguaiana. Em 2016, institucionalizamos a Coordenadoria das Ações Afirmativas (CAF) no Gabinete da Reitoria. E, a Resolução nº 161/2016, que instaura o Fórum de NEABIs da Unipampa, teve a adesão do multicampi proporcionando a criação de Núcleos nas dez Unidades da Universidade”, afirma o reitor.

A presidenta da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN), Anna Benite, destaca que os congressos regionais e nacionais são promovidos pela associação em conjunto com o consórcio de Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABIs) de várias regiões do país. Em 2018, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU) realizará a décima edição do Copene Nacional, em Minas Gerais.

Histórico do evento:

A primeira edição do Copene Sul ocorreu na Universidade Federal de Pelotas (UFPel), em 2013, e teve como presidente a professora Georgina Helena Lima Nunes. Já a segunda edição do evento ocorreu em 2015, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, sob a presidência do professor Paulo Vinicius Baptista da Silva. Em 2017 foi realizada a terceira edição, presidida pela professora Joana Célia dos Passos, que ocorreu na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis.

Participaram da escolha as seguintes Instituições de Ensino Superior do Rio Grande do Sul: FURG, UFPel, UFRGS, Ulbra, Unisinos e UFSM.

 

Campus Dom Pedrito realiza evento para apresentar as temáticas tratadas pelo NEABI

20No último dia 20 de julho de 2017, o Campus Dom Pedrito acolheu uma tarde de “Roda e Conversa e Roda de capoeira”, com vistas a convidar a comunidade acadêmica para a composição do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI). O intuito foi apresentar as temáticas tratadas pelo NEABI, as quais procuram articular atividades de ensino, pesquisa e extensão voltadas às histórias e culturas africanas, afro-brasileiras e indígenas, conforme previsto nas leis 10.639 de 9 de janeiro de 2003 e na Lei nº 11.645 de 10 de março de 2008, respectivamente. As atribuições dos NEABIs foram fixadas na Resolução nº 161, de 31 de outubro de 2016 CONSUNI/UNIPAMPA e relacionam-se a um amplo debate e conjunto de ações sobre educação das relações étnico-raciais a serem desenvolvidas em cada campi da nossa universidade.

No Campus Dom Pedrito, o NEABI vem sendo pensado por um grupo de docentes, técnico-administrativos e estudantes que já atuam ou interessam-se por essa temáticas, estando sob a coordenação da Profª Drª Suzana Cavalheiro de Jesus e da TAE Taíse Gomes. No decorrer desta trajetória foi percebida a necessidade de explicitar à comunidade em geral o que é o NEABI e quais ações são planejadas por este Núcleo, a fim de abraçar uma diversidade mais ampla de participantes. Neste evento do dia 20 de julho o campus contou com a presença do Profº César Jacinto, pesquisador de história afro-brasileira e membro do Movimento Negro, o qual proferiu uma fala sobre a luta histórica dos Movimentos Sociais Negros em prol de ações afirmativas no âmbito do acesso aos direitos sociais.

Na sequência, foi desenvolvido um momento de diálogo com membros do Conselho do Povo de Terreiro do Município de Alegrete, abordando elementos concernentes à diversidade religiosa e identidade negra. Encerrando a tarde de palestras, a ACAF (Associação Cultural Capoeira Arte Sem Fronteiras), também de Alegrete, apresentou ao público presente as diferenças entre Capoeira Regional e Capoeira Angola, bem como a prática do Maculelê e do Samba de Roda. Os participantes também foram convidados a realizar cada uma destas práticas corporais, culminando com uma grande roda de samba.