Ensino

papel do professor já não é há muito tempo a mesma do passado, pois antes ele detinha “todo” conhecimento e passava aos seus alunos aquilo que havia estudado sem reflexão ou visão crítica dos conteúdos. Hoje, felizmente, podemos e devemos ensinar nossos alunos a pensar, a questionar e a aprender a discernir, para que possam construir opiniões próprias [1].

Com isso,  o GIPPE cria projetos e desenvolve trabalhos na área da educação, propondo novas estratégias de ensino. Abaixo você encontrará alguns títulos dos trabalhos publicados e apresentados em congressos.

 

BICA, M. S. N. Múltiplas representações no ensino de química. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências da Natureza) – Universidade Federal do Pampa. Orientador: Rafael Roehrs. (Artigo)

BUTTENBENDER, M. D. ; MELO, H. V. T. L. ; RUTZ, K. P. ; SILVA, M. A. C. ; ROEHRS, R. . Professores Ativos e Passivos no uso de Facebook como ferramenta virtual nos processos pedagógicos. In: II Seminário Internacional em Educação em Ciências, 2012, Rio Grande. Anais do II Seminário Internacional em Educação em Ciências. Rio Grande: FURG/NUEPEC, 2012. v. 2. p. 802-812.

 DENARDIN,  U. F. G. Adaptação do jogo WAR® como ferramenta didática aplicada ao ensino de geografia – WARGEO. 2012. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Educação em Ciências) – Universidade Federal do Pampa. Orientador: Rafael Roehrs.
 BUTTENBENDER, M. D. Investigação de referenciais teóricos para aprendizagem de Bioquímica: Texto e Hipertexto. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências da Natureza) – Universidade Federal do Pampa. Orientador: Rafael Roehrs.
 
 

 

 

 

 

————-

[1] http://radioboanova.com.br/artigos/arte-ensinar-importancia-professor-2/