Objetivos e linhas de investigação

O Grupo de Pesquisa em Fisiologia da Unipampa foi criado em 2010 com o objetivo reunir pesquisadores na área de fisiologia da Unipampa, bem como potenciais colaboradores de outras áreas relacionadas e de outras instituições, no sentido de prover um conhecimento básico sobre a relação entre o desenvolvimento de doenças crônico-degenerativas e os mecanismos fisiológicos da homeostase.

Inicialmente o grupo apresentou duas grandes áreas de pesquisa, sendo uma relacionada aos parâmetros fisiológicos de mecanismos centrais, como processos mnemônicos e cognitivos, e outra relacionada a parâmetros fisiológicos de mecanismos periféricos, como por exemplo, funcionamento do sistema cardiovascular. Posteriormente, o grupo focou suas pesquisas principalmente na área de Fisiologia do Sistema Nervoso, do Sistema Endócrino e Ensino da Fisiologia.

Hoje, as linhas de investigação do grupo envolvem projetos com humanos e modelos animais com foco na compreensão dos fenômenos fisiológicos básicos e na reabilitação e prevenção de doenças crônico-degenerativas do sistema nervoso e endócrino e envelhecimento de tecidos biológicos, além de aglutinar conhecimentos no sentido de propor novas abordagens para o ensino de fisiologia.

Nossas principais linhas de pesquisa:

1) Neurofisiologia da Memória e outros Processos Cognitivos

2) Ensino de Fisiologia

  

Como ingressar (e permanecer) no GPFis?

O GPFis reúne estudantes interessados em desenvolver atividades que vão além da sala de aula, ampliando em vários aspectos a formação inicial do aluno. No entanto, nem todos os alunos têm perfil para iniciação científica. Espera-se que os alunos participantes tenham forte interesse em atividades de ensino, pesquisa e/ou extensão, sem desconsiderar a indissociabilidade destas, e tenham interesse em seguir com atividades de pós-graduação. Ainda, é necessário que o estudante tenha cursado com aprovação componentes curriculares básicos, como Fisiologia Humana/Geral e tenha tempo disponível e vontade de dedicar este tempo às atividades de laboratório.

No GPFis são atividades comuns a todos os alunos de iniciação ao ensino, pesquisa ou extensão, bolsistas ou voluntários:

1)      Participação nos ciclos de debates/reuniões científicas semanais, sendo responsável pela apresentação de ao menos um encontro semestral;

2)     Participação nas reuniões administrativas periódicas;

3)      Hábito de leitura semanal de artigos científicos internacionais;

4)      No caso de falta de domínio para leitura e/ou escrita em língua inglesa, procurar uma forma de estudar inglês;

5)      Cumprimento de carga horária mínima no laboratório de pesquisa ou atividade de campo, conforme escala de horário a ser organizada no início de cada semestre;

6)      Disponibilidade em trabalhar em grupo e auxiliar os colegas nas atividades de seus projetos específicos, sob supervisão de um aluno de pós-graduação ou equivalente;

7)      Atuação nas etapas de desenvolvimento de um ou mais projetos específicos;

6)      Participação em, no mínimo, um evento científico anual, com apresentação de trabalho, preferencialmente na forma oral.

Os alunos de iniciação do GPFis são selecionados em períodos específicos, conforme o lançamento de editais, ou são convidados a ingressar do grupo após período de participação assídua, com denotação de interesse, nos ciclos científicos semanais. Dar-se-á preferência à participação inicialmente voluntária, pelo período mínimo de 1 semestre, para que o aluno adquira experiência, habilidades mínimas e ritmo de trabalho em laboratório. Em casos específicos, alunos poderão ingressar como bolsistas. De qualquer forma, as seleções de bolsistas seguirão edital que sempre levará em consideração aspectos como experiência, produção, perspectivas de pós-graduação, entre outros aspectos relativos ao projeto específico. Espera-se que os alunos o GPFis tenham como objetivo principal iniciar uma carreira de pesquisa, com vistas à aquisição de experiências para futuramente concorrer à vaga na pós-graduação, de forma que ter uma bolsa não seja requisito fundamental para seu envolvimento pleno nas atividades, visto que não existe garantia de bolsa.

O professor orientador é responsável por acompanhar o andamento das atividades do aluno, com intermédio de um co-supervisor (aluno de pós-graduação ou equivalente) bem como verificar continuamente o seu envolvimento. Cabe ao orientador desligar o aluno do grupo em caso de conduta inadequada ou falta de compromisso, e cancelar a bolsa, se for o caso. Isso poderá ocorrer a qualquer tempo.

A cada início de semestre é realizada uma reunião de planejamento para definição de metas individualizadas por aluno. As metas seguem um prazo específico acordado entre orientador, co-supervisor e aluno, de forma que acontecimentos que impossibilitem o seu cumprimento deverão ser informados no seu tempo. O cumprimento de prazos e metas é um dos indicativos de aproveitamento do aluno, e será considerado na avaliação da sua continuidade no grupo e na distribuição de bolsas. O aluno deverá estar ciente de que haverá cobrança do orientador e do co-supervisor neste sentido. Assim, é fundamental que, ao procurar uma vaga no GPFis o aluno tenha ciência de que isso envolverá disponibilidade de tempo, dedicação às atividades de ensino, pesquisa e extensão, vontade de estudar muito, motivação para discutir e pensar criticamente, predisposição para aprender e ensinar, trabalhando em grupo, responsabilidade ética e aceitação de críticas.

Quanto antes for a familiarização do aluno com a pesquisa, melhor. Desta forma, alunos das fases iniciais que já cursaram ou estão cursando ao menos uma disciplina de Fisiologia são bem aceitos no grupo. Alunos em fase de estágio final serão admitidos quando já houver histórico de tempo de participação no grupo ou para realização de TCC, devido ao pouco tempo livre disponível nesta fase. Casos específicos serão estudados à parte.

Alunos de pós-graduação poderão ser admitidos após reunião individual. Dar-se-á preferência àqueles que já tiverem alguma experiência de IC na área de atuação do grupo. O aluno de pós-graduação terá, também, funções adicionais aos de alunos de IC, a citar:

1)      Coordenação de projetos específicos;

2)      Coorientação de alunos de iniciação científica;

3)      Desenvolvimentos de atividades didáticas (de acordo com as normas do PPG);

4)      Organização do laboratório e distribuição de tarefas;

5)      Controle de recursos advindos de fomentos externos, estoque e necessidades de compras de materiais para o laboratório;

6)      Auxílio em prestações de conta a agências de fomento.

Todos os participantes são estimulados a publicar seus resultados, desde que atuem em todas as fases da pesquisa, e sempre, toda e qualquer publicação, deverá ser orientada pelo professor orientador.  A cada final de semestre os alunos deverão avaliar sua participação no GPFis, revendo as metas inicialmente acordadas com o orientador e co-supervisor. No caso de bolsistas, também há necessidade de envio de um relatório de atividades ao final da vigência da bolsa.