Perspectiva teórica

A pesquisa propôs o estudo de um dos elementos assentes na composição da narrativa literária contemporânea portuguesa que tematiza eventos-limite, como foram as guerras coloniais (1961-1974): o teor testemunhal, tanto do evento histórico quanto da experimentação vivida, e ultrapassada, no âmbito pessoal, o modo como ele é materializado através da linguagem artisticamente elaborada e os possíveis elos e/ou dissonâncias entre texto documental e texto ficcional.

 A investigação concentrou-se na(s) personagem(ns) que detém a responsabilidade da enunciação (narrador/narradora), e nas “marcas” textuais e semânticas que indiciam a presença de elementos biográficos articulados com recursos estéticos. Conceitualmente, tratar-se-á tanto da mímese e do estatuto do herói, segundo a perspectiva teórica literária que acompanha a emergência de romances contemporâneos que tratam de eventos bélicos, quanto da delimitação de sujeitos narradores inseridos num contexto pós-colonial, em cujo discurso é possível reconhecer acentuada carga ideológico-valorativa e, acima de tudo, a demarcação de posicionamento de cunho fortemente pessoalizado. Como produto final, merecedor de reflexão, tem-se a amálgama entre personagem narrador e “persona” autoral, depreendido na linguagem literária e por ela mediatizado, conduzindo à interação entre História e Literatura.

Na literatura do último século, torna-se cada vez mais aceitável a presença de um componente testemunhal nas obras escritas por sujeitos autorais que participaram, direta ou indiretamente, de eventos bélicos marcantes, tanto em termos coletivos como individuais. Em termos da reflexão teórico-literária, o campo dos estudos sobre o teor testemunhal impresso na produção ficcional dissemina-se, granjeia adesão paulatina e a bibliografia específica sobre o tema não é abundante. Como não se trata somente do estabelecimento de uma nova área de estudo, mas do estabelecimento de uma nova abordagem da produção literária e artística, a fase atual de configuração se apóia em um amplo espectro de pesquisas e de diferentes trabalhos, conforme afirma Márcio Seligmann-Silva (Unicamp/SP).