Eventos

SETEMBRO / 2015

Encontro Estadual em Ensino de Física

AGOSTO/2015

 XIII Encontro sobre Investigação na Escola, nos dias 21 e 22 de agosto de 2015, em Erechim/RS

JULHO/ 2015

Nos dias 26- 29 de Julho em Lisboa, Portugal, a prof. Dra. Amélia Rota Borges de Bastos participou do ISEC 2015, um dos maiores congressos do mundo sobre inclusão educacional, que reuniu mais de 38 países na discussão de  práticas e políticas de inclusão escolar. Na ocasião do evento a professora Amélia Bastou moderou, a convite da organização do ISEC, salas de apresentação de trabalhos e teve a oportunidade de apresentar três estudos, a saber:

  1. PROPOSIÇÃO DE RECURSOS PEDAGÓGICOS ACESSÍVEIS: O ENSINO DE QUÍMICA E A TABELA PERIÓDICA

O trabalho discute os procedimentos a serem adotados e os cuidados a necessários à construção e adequação de recursos pedagógicos para o ensino de alunos com necessidades educacionais especiais (N.E.E). Mediadores do processo de ensino-aprendizagem, estes recursos, por construírem-se a partir do reconhecimento dos estilos cognitivos de seus usuários e das características do processamento cognitivo das deficiências, promovem o acesso aos conteúdos curriculares e garantem a inclusão na escola comum. Dentre os cuidados na proposição dos recursos, cita-se o conhecimento do conteúdo específico a ser ensinado, que deve ser apresentado ao aluno
com deficiência com o mesmo grau de aprofundamento que é apresentado
aos demais, evitando a exclusão pela via do conteúdo; as características específicas das deficiências no que tange às formas de processamento cognitivo, como, por exemplo, as formas de processamento da informação por alunos surdos, cujos inputs de informação são, pelas características da língua de sinais, visuais; a competência linguística de alunos surdos, no que tange ao domínio da LIBRAS e do português como segunda língua; a utilização de recursos táteis para alunos cegos que não ofereçam perigo ao tato e que representem de maneira fidedigna os conceitos a serem ensinados; a
diversificação de materiais utilizados na adaptação dos recursos, de
forma que alunos com diferentes estilos cognitivos possam
beneficiar-se do material construído e ter acesso aos conhecimentos
por ele mediados, dentre outros. Além desta discussão, propomos a apresentação de uma Tabela Periódica construída a partir das premissas do desenho universal da aprendizagem. Dentre os recursos de acessibilidade utilizados para tanto estão: a ampliação da tabela para alunos com baixa visão; a disponibilização de todas as informações escritas no sistema Braille; a construção de verbetes químicos para apoiar a compreensão dos alunos surdos sobre os elementos químicos, uma vez que apenas seis elementos estão dicionarizados na Língua Brasileira de Sinais; a construção de caixas de referência com representações das aplicações dos elementos em objetos, materiais e alimentos do cotidiano, como forma de facilitar a compreensão do tema para alunos com déficit intelectual, dentre outras proposições.

2. O CAMINHO DAS ESCOLAS RUMO AS PRÁTICAS DE INCLUSÃO

Sendero Inclusivo buscou discutir a genealogia dos saberes mobilizados e produzidos pela escola e por professores que vêm obtendo êxito na escolarização de alunos com necessidades educacionais especiais – n.e.e, apesar de não terem formação especializada para responder às políticas de inclusão. A investigação, de caráter qualitativo, foi levada a cabo através da realização de um estudo de caso de uma Escola da Rede Municipal de Educação do Município de Bagé/RS, que vem protagonizando práticas educativas reconhecidas como inclusivas. Compôs o corpus da investigação a observação do campo empírico, a realização de entrevistas semi-estruturadas com os atores que compõe a Instituição educativa e comunidade dos arredores, a realização de grupos focais, a análise das narrativas das professoras em diários pessoais e a análise documental. Os pressupostos teóricos que deram sustentação ao estudo centraram-se nas temáticas da inclusão e da formação docente, tendo como interlocutores principais Freire, Carvalho, Rodrigues, Tardif, Zeichner, Schön, Cunha, Leite e Alarcão, sem prejuízo de outras colaborações. Os resultados do estudo apontaram que as boas práticas protagonizadas pela Escola-caso são resultado de um processo que envolveu a re-significação dos estereótipos e preconceitos que envolviam a temática da inclusão e dos alunos com necessidades educacionais especiais. Houve a mobilização e a produção de saberes plurais, construídos, predominantemente, no contexto do trabalho, o que favoreceu a construção de uma nova profissionalidade docente e a reconfiguração identitária pessoal e profissional dos profissionais da escola, que passaram a incorporar o tema da inclusão como um aspecto da vida e da profissão. O estudo confirmou o pressuposto de que a escola e os professores são produtores de saberes e que as práticas que alcançam êxito podem contribuir para sustentar as reflexões e as práticas no campo da educação inclusiva.

3. EDUCAÇÃO INCLUSIVA E O ENSINO DE CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PROPOSIÇÕES DA ÁREA

A temática da educação especial/inclusiva é pano de fundo da pesquisa intitulada: Educação Inclusiva e o ensino de ciências: um estudo sobre as proposições da área. Tal estudo  buscou mapear produções envolvendo o ensino de ciências e a temática da educação inclusiva dos últimos 20 anos, nas principais referências da área. O recorte temporal para a coleta dos dados foi definido a partir da data de promulgação da Declaração de Salamanca, 1994, que instituiu o conceito de escola inclusiva, acenando como baliza o direito à escolarização de todo e qualquer aluno no ambiente da escola comum. A organização de processos de ensino- aprendizagem que respondam às necessidades específicas dos alunos, princípio da Declaração, mobilizou-nos a identificar na área do ensino de ciências, as respostas que vêm sendo dadas às necessidades de aprendizagem de alunos com deficiência, no sentido de garantir, com igualdade de oportunidades, o acesso, a permanência e a aprendizagem destes estudantes neste campo epistêmico.

Neste, mais de 38 países discutiram suas politicas e práticas de inclusão.

749
Imagem do Encontro.
774
Imagem do Encontro.
775
Imagem do Encontro.
779
Imagem do Encontro.

MAIO/ 2015

 

 O Encontro da Rede Latino Americana de Popularização da Ciência é um evento bianual, com sua última edição ocorrida em final de maio, na cidade de Medellín, na Colômbia. Este evento teve como temática a relação entre Arte, Ciência e Tecnologia. A temática foi debatida em palestras, mesas de trabalhos, oficinas, painéis, pôsteres e sessões de apresentação de trabalho oral, onde foi apresentado o trabalho Astronomia para Todos: um relato de 5 anos de experiência! Neste trabalho foi apresentado alguns dos resultados obtidos com o apoio do OBEDUC, como o livro Ilha de Vida. Aproveitando o evento, também foi feito contato com colaboradores de planetários da América Latina, além de conhecer detalhes do funcionamento do Planetário de Medellín e do Parque Explora, além do projeto de revitalização do bairro Moravía.

Confira aqui as fotos do Evento publicadas no Facebook.

Participantes do RedPOP
Participantes do RedPOP.

JANEIRO/2015

NOVEMBRO/2014

OBEDUC apresenta trabalhos no VI SIEPE

A INSERÇÃO DE TÓPICOS DE ASTRONOMIA NO ENSINO MÉDIO POLITÉCNICO, O SEMINÁRIO INTEGRADO E A ARTICULAÇÃO DO CONHECIMENTO

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA: UMA TEMÁTICA PARA O ESTUDO DO ELETROMAGNETISMO

OUTUBRO / 2014

III SIMPÓSIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM ASTRONOMIA

INSERÇÃO DE TÓPICOS DE ASTRONOMIA NO ENSINO MÉDIO POLITÉCNICO, O SEMINÁRIO INTEGRADO E A ARTICULAÇÃO DO CONHECIMENTO

OUTUBRO/2013

OBEDUC NO V ENCONTRO ESTADUAL DE ENSINO DE FÍSICA – RS

 

  •  Trabalhos apresentados no Encontro: 

A inserção de tópicos de astronomia no ensino médio politécnico, o seminário integrado e a articulação do conhecimento.

Geração de energia elétrica: uma temática para o estudo do eletromagnetismo.

Implantação do jogo de batalha naval no ensino de plano cartesiano

 Arduino como elemento facilitador da aprendizagem significativa de conceitos de eletricidade no ensino médio integrado.

 

  • Oficinas: 

Utilização da plataforma micro controlada Arduino para concepção de um carrinho automatizado como recurso didático na construção e interpretação de gráficos.

Fotografia e Astronomia

 RESUMO DOS TRABALHOS APRESENTADO NO V ENCONTRO ESTADUAL DE ENSINO DE FÍSICA – RS.

SETEMBRO/2013

9º Simpósio Sul-rio-grandense de Professores de Ciências e Matemática

 COMPOSIÇÃO DE PARÓDIAS MUSICAIS NO ENSINO DE FÍSICA

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS E PRODUÇÃO DE VÍDEOS COMO ESTRATÉGIA DIDÁTICA PARA O ENSINO DE FÍSICA

SIMULAÇÕES E EXPERIMENTOS COMO FACILITADORES DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA DE CONCEITOS DE ELETRICIDADE NO ENSINO MÉDIO INTEGRADO

AGOSTO/2013

XII INVESTIGAÇÃO NA ESCOLA

A PRODUÇÃO DE VÍDEOS COMO RECURSO METODOLÓGICO INTERDISCIPLINAR

AS NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS E A INCLUSÃO 

OBEDUC apresenta trabalho no V SIEPE.

Confira os resumos aqui:

Ensino de ciências na Região da Campanha: contribuições na formação acadêmico-profissional de professores de física através de experimentos de robótica educacional 

Ensino de ciências na Região da Campanha: contribuições na formação acadêmico-profissional de professores de química e física. 

OBEDUC participa do XIX Encontro da Associação Brasileira de Planetários.

Participação do MPEC em evento internacional

34° Encontro de Debates sobre o Ensino de Química (EDEQ).

XVII Encontro Nacional de Ensino de Química.

Seminário Internacional de Ensino de Ciências.

XXI Simpósio Nacional de Ensino de Física.