Recepção aos calouros

Na última sexta-feira , 14 de agosto, realizamos uma atividade de recepção aos acadêmicos da fisioterapia que ingressaram no 2º semestre de 2015.

Os alunos foram apresentados ao grupo PET Fisioterapia e a universidade, bem como ouviram uma breve explicação sobre o funcionamento político dentro da IES. Ainda, foram apresentado as diversas áreas de atuação dentro da fisioterapia.

11880257_753465604765580_824361008_n

11908111_807065892742172_797155767_n

Inscrições abertas para seleção de bolsistas

Você tem vontade de ter uma graduação diferenciada, interesse em participar de atividades de ensino, pesquisa e extensão, crescer profissionalmente e humanamente durante a graduação? Então, aproveite que o Grupo está selecionando bolsistas.

Não perca esta oportunidade!

Confira o edital e faça sua inscrição no link abaixo:

http://porteiras.r.unipampa.edu.br/portais/pet/

10566009_670049243075621_2063738855_n

Informa PET Fisioterapia – 8ª Edição

 

Já conferiu a 8ª edição do INFORMA PET?

Clique na imagem e leia o material produzido por nós!

Nele organizamos matérias sobre dicas de filmes, livros e documentários,  ações que realizamos, incluindo o III PampaPET, matérias dos nossos colunistas já conhecidos pelos textos maravilhosos e na 8ª contamos com um novo colunista: Luigi A. da Campo falando sobre O Poder da Fotografia.

 

informa

 

 

 

 

Para conferir as edições anteriores, visite a Categoria: 08-  Informa PET

Ação social / política / humana.

 

No dia 02/04/2014 fomos citados em uma matéria no site da Câmara de Vereadores de Uruguaiana sobre a ação que realizamos no dia 01/04/2014.

Na ocasião, todos os vereadores foram abordados por nós antes do início da Sessão e quando a mesma teve início, o prof. Franck Peçanha, tutor do nosso grupo foi convidado a explanar, nos representando na Plenária.

Atualmente no estado já existe a Lei Estadual nº 13.320, que “consolida a legislação relativa à pessoa com deficiência no Estado do Rio Grande do Sul” e concede a redução da carga horária de servidores públicos que possuem filhos com deficiência, que deve ser destinada ao acompanhamento do filho, natural ou adotivo, no seu tratamento e/ou atendimento às suas necessidades básicas diárias.

Procuramos estimular a instauração dessa lei a nível municipal (e torcemos pela Lei Federal), com o objetivo não primariamente de reduzir a carga horária para o servidor, mas sim promover assistência maior a quem necessita, para que possa evoluir e vencer suas limitações, visando uma melhor qualidade de vida. Afinal, saúde e educação são direitos de todos que devem ser respeitados.

-> Confira a matéria no link abaixo:

http://camarauruguaiana.rs.gov.br/?p=9970