Fotografia

http://www.flickr.com/photos/110983212@N04/sets
 
Dentre as atividades da Psicologia Social, está a participação em espaços do cotidiano do Campus Bagé através do registro e composição de narrativas visuais, incentivando o exercício da autoria. Por exemplo, a mídia fotográfica (com orientação etnográfica e /ou de caráter documental) é uma das formas de compor narrativas, assim como a produção audiovisual (filmagem e /ou animação).
 
LER: “Sob a mira da metralhadora audiovisual
 
Mídia(*) é a ferramenta ou o substrato pelo qual veiculamos uma mensagem. Atualmente, o termo está associado à meios de comunicação em massa ou agências de notícias, conseqüência da era pós-industrial em que vivemos.
 
Ainda que a massificação interfira estruturalmente na forma como nos expressamos, a narração é uma forma intrinsecamente humana de construir discurso ao encadear idéias, afetos, valores. No caso da produção de narrativas gráficas e audiovisuais, passando pelo Cinema, Histórias em Quadrinhos, Animação e outras modalidades da cultura pop, pode ser agrupada sob a categoria de “arte-sequencial“.
 
Em uma sociedade informatizada que explora amplamente a comunicação audio-visual(2), estas formas de expressão ultrapassaram os suportes convencionais impressos, das revistas, jornais, fanzines e outros, bem como o Cinema clássico enquanto indústria globalizada, e estão hoje intrinsecamente ligadas à rede telemática mundial e, recentemente, às tecnologias móveis. Ou seja, tornaram-se mais acessíveis ao controle relativo da população em geral, decorrendo em um novo panorama sócio-cultural que permite esboçar conceitos como o “jornalismo cidadão”.
 
(*) = latim medium (meio) e media (meios)